A rainha do crime chegou!

Você sabe qual é o maior livro do mundo? Segundo o Guinness Book, “The Complete Miss Marple”, com 4032 páginas, contendo 12 romances e 20 contos, e medindo mais de 30 cm, é o maior livro de mundo. E de quem é a autoria desse livro? De uma das maiores romancistas britânicas: Agatha Christie, a “Rainha do Crime”. E esse não é o único motivo pelo qual a autora se encontra no livro dos recordes; ela também está lá por conta do elevadíssimo número de vendas dos seus livros: a autora já publicou mais de 80 obras, traduzidas para mais de 100 idiomas diferentes, e suas vendas são superadas apenas pela Bíblia e por Shakespeare! E isso não é pra qualquer um, portanto hoje o Muquifo abre suas portas para Agatha Christie!

Imagem

Agatha Mary Clarissa Christie, apesar de ser conhecida pelas suas mais de 80 obras policiais, escreveu também outros romances, sob o pseudônimo de Mary Westmacott, livros de poesias, um livro infantil, autobiografias e também obras de dramaturgia. Inclusive, a peça que está há mais tempo em cartaz, no mundo, é de sua autoria: The Mousetrap estreou em 25 de novembro de 1952 no Ambassadors Theatre em Londres, e em 25 de março de 1974 foi para o St. Martin’s Theatre, onde continua até hoje!

Os romances de Agatha Christie se tornaram best-sellers ao longo do tempo, o que não os deixa mais ou menos clássicos, já que a autora faz com maestria aquilo que se propõe a fazer, e consegue prender o leitor a sua trama de tal forma que é praticamente impossível simplesmente abandonar algum livro dela. Ainda assim, existem críticas a sua literatura, e acredito que a mais relevante delas é a forma como Agatha Christie resolve os mistérios que propõe de forma a realmente deixar o leitor sem a opção de investigar junto com o detetive: para alguns, é claro, esse será um ponto positivo, e para outros, um ponto negativo; mas o que ocorre é que, muitas vezes, o personagem tem acesso a pistas que o leitor não fica sabendo através da narrativa, e portanto não é capaz de solucionar o mistério junto com o detetive. A meu ver, esse não é um problema na obra de Agatha Christie, mas sim uma escolha narrativa que agrada a uns, e não agrada a outros. Outra crítica a respeito de sua obra seria a linguagem utilizada pela autora, já que é bastante simples quando comparada a outros clássicos: é importante, porém, entender que a linguagem utilizada por Agatha Christie é simples quando analisamos seus livros traduzidos, porque seus originais não são assim tão simples quanto imaginamos ao ler alguma de suas traduções para o português, e mesmo que o fossem, existem outros aspectos que a caracterizam enquanto grande escritora clássica que é.

Os personagens criados por Agatha Christie são, ao mesmo tempo, arrogantes e engraçados, caem em situações que dão um nó na cabeça do leitor, e ao mesmo tempo parecem totalmente condizentes quando paramos para analisar o contexto da história. Além disso, as ambientações feitas pela autora, e sua descrição, ao mesmo tempo, meticulosa e fluida, faz com que o leitor literalmente se sinta em casa, mesmo que esteja lendo a história de um serial killer, ou de um falso assassinato.Imagem

Dentre seus principais livros está “Assassinato no Expresso do Oriente”, que foi o primeiro livro dela que li, e recomendo como um primeiro contato com o trabalho da autora, já que apresenta as principais características da sua escrita, tem uma leitura muito fluida e realmente prende o leitor às palavras, isso sem mencionar que dá pra ler de uma vez só, na fila do banco, na espera do médico, na hora do almoço, não tem desculpa. Outras obras importantes, também, são “O misterioso caso de Styles”, sua primeira publicação, e primeira aparição de Poirot, o detetive tão comparado a Sherlock Holmes; “Assassinato na casa do pastor”, primeiro caso de Miss Marple, a simpática e sagaz velhinha que descobre de um tudo; “O caso dos dez negrinhos”, que também pode ser encontrado com o título “E não sobrou nenhum”, que é um dos livros mais vendidos da história; e “Assassinato de Roger Ackroyd”, considerado uma das obras-primas de Agatha Christie, mesmo com uma certa polêmica sobre a resolução do mistério. Os únicos livros da autora que eu não indico para um leitor iniciante de sua obra são “Cai o Pano” e “Um crime adormecido”: esses dois livros interessam muito mais àqueles que já estão familiarizados com os personagens principais das obras da Rainha do Crime e já tem, inclusive, uma afeição por um ou outro detetive.

Para os que já são fãs da autora, indico que visitem o site oficial dela, no qual podemos encontrar histórias, notícias, clube de leitura, produtos e fóruns, além da possibilidade de participar da criação de um romance policial, escrevendo capítulos de uma história, sempre usando cenas de abertura da própria escritora como ponto de partida. Além de ter seu capítulo publicado no site, o vencedor é convidado para um jantar literário e ganhar alguns prêmios bem interessantes! Vale a pena! E se você ainda não conhece esses clássicos dos romances policiais, procure um livro dela, e delicie-se!

Anúncios